Campo Grande (MS) – Data única, marca da nossa história. Os 40 anos merecem uma comemoração com muita arte, cultura e principalmente integração. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania (SECC) e da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), promove nos dias 11 e 12 de outubro no Parque das Nações Indígenas o “Coração do Brasil”, evento que reunirá apresentações musicais, exposições de artes plásticas e artesanato e ações sociais. E para participar basta doar um brinquedo, novo ou usado, mas em bom estado. Eles serão distribuídos para entidades sociais que atendem famílias em todos os 79 municípios.

E vai dar samba? Isso e muito mais: sertanejo raiz, regional e pop em 43 apresentações musicais de artistas que celebram a nossa terra. Um grande time de músicos de diferentes perfis e ritmos unidos pela cultura. E dois grandes shows encerram a festa: no dia 11 se apresenta o maior violeiro do país, Almir Sater; já no dia 12 é a vez do multicultural Alceu Valença.

Para o secretário da pasta, Athayde Nery, a celebração dos 40 anos de Mato Grosso do Sul é uma referência que liga um passado repleto de conquistas e integração cultural ao amanhã. “É um marco de gratidão. Nestes anos todos agregamos muitos valores, culturas e pessoas. Creio ser de extrema importância revelar e valorizar esta história e nossa cultura para termos um anúncio melhor de futuro”.

O maior violeiro do país, Almir Sater, será uma das atrações na comemoração do aniversário do Estado. Foto: Chico Ribeiro

O “Coração do Brasil” começa no dia 11 de outubro (quarta), às 17h, com o show Sertanejo Raiz, que contará com apresentações de alguns dos mais importantes nomes da música tradicional de Mato Grosso do Sul.

Subirão ao palco Amambay, Aurélio Miranda, Beth e Betinha, Castelo, Elinho do Bandoneon, Delinha, Dino Rocha, Tostão e Guarany, Victor Hugo de La Sierra e Marcelo Loureiro. O repertório é voltado para os maiores clássicos do gênero criados pelos primeiros compositores sul-mato-grossenses que fizeram história a partir dos anos 1950.

Às 18h15 começa o show Regional, que reúne expressivos nomes da moderna música de Mato Grosso do Sul, que começou a se destacar na década de 1970, praticamente junto com o Estado. Se apresentam Paulo Simões, Geraldo Espíndola, Guilherme Rondon, Celito Espíndola, Carlos Colman, Grupo Acaba, Maria Alice, Filho dos Livres, Gilson Espíndola, Antônio Porto, Thamires Tannous, Hermanos Irmãos e Rodrigo Sater.

O encerramento – a partir das 20h – contará com a expressão musical que se confunde com nossa cultura e história. Almir Sater, um dos maiores nomes da Música Popular Brasileira, apresentará ao público os maiores sucessos de sua carreira, dentre eles “Trem do Pantanal”, “Tocando em Frente” e “Comitiva Esperança”.

E no dia 12 de outubro (quinta-feira) a celebração continua. O “Coração do Brasil” começa às 9h, com apresentações teatrais, de circo e dança, mostra de artesanato e visitas mediadas de estudantes ao Museu de Arte Contemporânea (Marco), que possui em seu acervo um expressivo patrimônio das artes plásticas sul-mato-grossense.

No evento também ocorre o cadastramento do “Sangue Bom”, projeto que incentiva a doação de sangue e cadastro de novos doadores de medula óssea. Iniciativa do professor Carlos Alberto Rezende, o Carlão, busca identificar possíveis doadores através de palestras, mídias e campanhas, trabalhando a conscientização da população.

As apresentações musicais têm início às 17h, com o show Samba, que reunirá alguns dos mais conceituados artistas deste tradicional estilo no palco do Parque das Nações Indígenas: Zé Carlos da Vila Carvalho, Jucy Ibanez, Gideão Dias, Sampri, Toniquinho da Viola, Pegada de Macaco, Don Batuque e Choquito.

Os artistas da nova geração se apresentam a partir das 18h15 no show Pop. No repertório estão canções que se tornaram conhecidas do público na última década e que revelaram talentos sul-mato-grossenses no reggae, rap, pop, rock e o blues: Beget de Lucena, Chicão Castro, Marina Peralta, Vinil Moraes, Xaras Gabriel, Ju Souc, Chris Haicai, André Stábile, Zé Pretim, Carlos Sória, Rodrigo Tozette e Falange da Rima.

O encerramento – marcado para às 20h – fica por conta de um dos artistas mais importantes da música popular brasileira: Alceu Valença, seu jeito irreverente, figurinos criativos e performance marcante. No palco o músico levará ao palco clássicos como “Morena Tropicana”, “Coração Bobo” e “Como Dois Animais”.

As apresentações acontecem no Parque das Nações Indígenas e são abertas ao público. É sugerida a doação de um brinquedo, que será distribuído em diferentes ações sociais em todo o Estado.

Contato para a Imprensa: (67) 3316-9157

Marcio Breda – Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS)

Foto capa: Nathalia Torres