Campo Grande (MS) – Em alusão à campanha “Novembro Azul”, o Módulo de Saúde do Complexo Penitenciário da Capital realizou ações de prevenção contra o câncer de próstata. A iniciativa aconteceu durante todo o mês de novembro e abrangeu 1.784 custodiados atendidos.

O objetivo da campanha foi conscientizar e sensibilizar os internos sobre os riscos do câncer de próstata e ressaltar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. Para isso foram distribuídos informativos, realizadas palestras e orientações médicas.

A campanha foi desenvolvida com os reeducandos que recebem atendimento médico e odontológico no Módulo de Saúde e nas unidades penais do Complexo Penitenciário da Capital como o Centro de Triagem Anísio Lima (CT), o Instituto Penal de Campo Grande (IPCG), o Presídio de Trânsito (Ptran) e o Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho (EPJFC) – o presídio de segurança máxima.

Também participaram da iniciativa os grupos de acompanhamento psicossocial das unidades prisionais, que são desenvolvidos com os profissionais do Módulo de Saúde. As reuniões atendem aos detentos enquadrados como medida de segurança e Lei Maria da Penha.

As ações realizadas no local são subordinadas administrativamente à Diretoria de Assistência Penitenciária da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), e tecnicamente à Divisão de Saúde da instituição.

Segundo a diretora do Módulo de Saúde, Angélica Rosa de Almeida, toda a equipe de servidores e de profissionais da saúde se engajou para realizar uma campanha objetiva e acessível a todos. “Hoje o câncer de próstata é o tumor mais frequente no homem, por isso, elaboramos um material de divulgação com informações claras e necessárias para identificar sintomas e os devidos hábitos de prevenção; desta forma, acredito que o objetivo proposto foi alcançado”, ressalta.

Atualmente, o Módulo de Saúde do Complexo Penitenciário realiza cerca de 180 atendimentos médicos semanais, e proporciona mais celeridade e qualidade na atenção à saúde de internos do CT, IPCG e Ptran.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, as ações envolvendo orientações sobre prevenção de doenças demonstram o comprometimento da instituição com a saúde dos reeducandos e dos servidores penitenciários. “Iniciativas como essa trazem bons resultados, considerando que a prevenção de doenças é a melhor saída para uma gestão eficaz”, conclui o dirigente.

Texto e fotos: Tatyane Santinoni – Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen)